noticias revista apdp  apdp tv
 
 
 Telf: +351 21 381 61 00  Email: diabetes@apdp.pt

Medicação

Locais de injeção de insulina

O principal objectivo do tratamento da pessoa com diabetes é conseguir um óptimo controlo metabólico, para que possa ter uma vida com qualidade, evitando ou atrasando as complicações crónicas da diabetes.

No início, a diabetes tipo 2 até pode ser controlada com alimentação saudável e equilibrada e exercício físico, mas depois de algum tempo há necessidade de utilizar medicamentos.

No caso de a pessoa ter diabetes tipo 1, é necessário começar a administrar insulina assim que for feito o diagnóstico, porque é insulina é uma hormona que faz naturalmente parte do nosso organismo, e sem a qual não podemos viver.  A insulina tem a função de fazer com que o açúcar existente no sangue, seja aproveitado, para nos dar energia.

Com o decorrer dos anos de diabetes tipo 2, o organismo da pessoa vai perdendo a capacidade de produzir insulina, e os medicamentos começam a ser menos eficazes. A evolução natural da diabetes tipo 2 é um dia a pessoa recorrer à insulinoterapia, para continuar a aproveitar bem o açúcar proveniente dos alimentos com hidratos de carbono, mantendo a sua energia, um bom controlo das glicemias e a qualidade de vida.

Esta terapia também é utilizada a nível transitório - por exemplo durante a gravidez e nas cirurgias.

Diabetes Tipo 1

Diabetes tipo 1

Insulinoterapia

Os diabéticos tipo 1 fazem sempre tratamento com insulina – insulinoterapia. 

A insulinoterapia consiste na administração de insulina por via subcutânea (por baixo da pele). Não existem comprimidos de insulina pois não é possível absorvê-la uma vez que os ácidos do estômago a destroem.

A administração de insulina deve ser feita a par de uma vigilância correta da glicemia e de uma alimentação saudável e prática de exercício regular.

As administrações de insulina nos Diabéticos Tipo 1 são sempre adaptadas a cada caso. Deverá ser realizada administração de insulina de ação prolongada (1 ou 2 vezes por dia em função da insulina e das características individuais de cada pessoa) e administração de insulinas de ação rápida/ultra-rápida, pelo menos 4 vezes por dia. Para a administração de insulina de ação rápida/ultra-rápida antes das refeições, recomenda-se a contagem de hidratos de carbono. 

 

A técnica de administração de insulina
 A técnica de administração de insulina é extremamente importante para que esta cumpra o seu efeito. Nos últimos anos as recomendações para a administração de insulina mudaram bastante. Esta aprendizagem deve ser feita junto do profissional de saúde já que a técnica de administração varia de pessoa para pessoa tendo em conta especificidades como por exemplo a espessura do tecido adiposo (camada de gordura por baixo da pele). Todas as pessoas têm tecido adiposo, mesmo as mais magras.  

A insulina tem que ser administrada por baixo da pele, no tecido adiposo e não no músculo, por isso o tamanho da agulha é muito importante. 

É importante que varie o local onde é administrada a insulina, utilizar sempre o mesmo local leva à criação de nódulos na pele (lipodistrofias) que prejudicam a absorção, além disso massacra a pele e pode causar feridas.

Para administrar a insulina deve fazer uma prega na pele com o dedo polegar e com o indicador e injetar com a agulha perpendicular à pele. A agulha não deve ser retirada imediatamente, espere 10 a 15 segundos. 

 

Quais são os riscos de não administrar corretamente a insulina? 

Se a prega de pele apanhar o músculo existe o perigo de acelerar a absorção da insulina podendo provocar hipoglicemia. Outra das situações é a insulina ser administrada dentro da pele (intradérmica), esta situação pode causar dor e/ou reações alérgicas. 

ref. 3, 4, 6, 9 e 32 

Destaques

Diabetes Factos e Números

Apoie  a APDP e faça um donativo